Categories
Uncategorized

Mais do que amizade

Mais do que amizade
Era um sábado, fui a casa de um amigo que me pediu ajuda. Fui vestida normalmente, calça jeans, blusinha branca, calcinha e sutiã brancos. Pego meu carro e dirijo até o prédio dele, ligo pra ele aviso que cheguei ele diz que é pra avisar na portaria que eu iria subir, cheguei no apartamento dele e a portava tava meio aberta, eu bato na porta ele pede pra entrar, quando entro, me dou conta do que estava acontecendo, ele estava pelado, sentado no sofa da sala, com a piroca dura, eu me faço de boba, olho pro lado mas não adianta, o pinto dele é enorme e ele vem falando pra mim “Vanessa, eu não aguento mais, eu sonho contigo já tem um tempo, cada dia mais intenso, não aguento mais olhar pra você de roupa ou apenas de biquíni” eu reluto, mas acabo cedendo, o pinto dele já estava me abraçando enquanto ele falava comigo, parecia que o pinto dele estava me chamando..

Então, ele começa a me despir, tira minha blusa, arranca meu sutiã, tira minha calça e com a boca ele vai tirando minha calcinha na ocasião minha xereca estava bem peludinha, ele aproveita pra puxar os pelos com os dentes, era o inicio de um transe sexual, ele disse que sempre quis transar comigo no corredor do prédio, topei, ele me botou de quatro e mandou eu ir engatinhando para la me puxando pelo cabelo, de frente pro elevador ele me bota pra chupar o pinto dele, com a minha bunda virada pra porta do elevador, ele vai me dando tapas, o elevador sobe e desce a tensão e o medo de ser pega eleva o tesão ao infinito, lambuzo aquele pinto todo, enrolo a cabeça do pinto na minha língua, lambo o saco, as bolas daquele homem enquanto levo tapas nas costas, tapas na bunda, enquanto ele aperta meus seios tao forte que parecia que ia explodir, entre tapas e chupões ele pede pra comer o meu buraquinho de trás, ele me vira, começa a lamber, chupar, ele esfrega a cabeça na entrada do meu cu e eu não aguento, empurro a bunda pra trás, o cu parece que já sabe o que fazer, engole o pinto dele todo, eu começo a rebolar e ele não acredita, começa a apertar minha bunda, dar tapas, me puxa pelo cabelo, eu faço os movimentos rebolando, ele montado em mim, apertando meus seios, eu só queria que aquele pinto não saísse mais do meu cu, ele começa a gozar dentro do meu cu, sinto seu leite quente preenchendo meu cuzinho, ele tira o pinto e eu vou diretamente com a boca para limpar e deixa-lo pronto pra próxima, ele continua de pinto duro, me deita de pernas abertas e começa a comer minha xereca, ele se empolga um pouco e me da um tapa muito forte na cara, eu me mijo toda mas peço outro e sou atendida, ele aperta meus seios enquanto come ferozmente minha xereca e me beija muito na boca. Por fim ele tira o pinto da minha xereca, coloca na minha boca e goza novamente, me fazendo beber todo leitinho que sai da mamadeira, bebo tudo, estava delicioso, eu queria mais, voltamos para dentro do apartamento e continuamos nossa transa por mais algumas horas, até a noite, quando eu voltei pra casa, mas antes, marcamos uma outra transa dessa para o quanto antes, ele fica com a minha calcinha e sutiã la, guardados de recordação e eu volto com seu nome escrito na minha xereca e em volta do seu cu, para marcar o território dele.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *