Categories
Uncategorized

A minha primeira experiência voyeur com um casal d

A minha primeira experiência voyeur com um casal d
Vou-vos contar a minha primeira experiência voyeur…

Era novo e trabalhava em part-time num call center. Nessa época foi quando apareceu o boom dos blogs, toda a gente tinha um blog. E foquei-me logo nos blogs “adultos”.

Vi muitos blogs de casais, uns mais arrojados, outros nem tanto… eu como sempre gostei de escrever (parte da minha profissão) meti-me com um ou outro casal e escrevi umas histórias para publicarem.

A início era apenas um hobby para alimentar a minha libido. E tanto que a maior parte desses casais nem respondia ou eram apenas fachadas para um qualquer homem solitário a querer atenção e republicar coisas que via noutros blogs ou sites.

Só que não… um dos casais chegou mesmo a responder-me!

Escrevi uma história de ficção sobre a esposa, eu e o marido. Eles tinham colocado o anúncio no blog se alguém gostasse de fantasiar sobre ele ou ela. Eu escrevi uma história engraçada (e bem sensual) sobre ambos… e eu, claro.
Respondeu-me ela a agradecer. Trocámos comentários e impressões. Tudo por e-mail.

Publicaram a minha história. Fiquei contente e agradecido.
Pediram-me outra e assim o fiz. Escrevi uma outra história, desta vez só entre ele e ela. (sem a minha intervenção na fantasia)

Mais uma vez ela responde e tudo e tudo…

Quando tinha um tempo no meu part-time lá escrevia qualquer coisa… mas com esse casal ficámos umas duas semanas sem trocar impressões.

Certo dia recebo um e-mail dele.
Apresenta-se e pergunta se está tudo bem e se tinha Hi5 (sim, foi nessa época). Eu disse que sim, mas tinha o perfil bloqueado só para amigos. Ele disse que não fazia mal, só queria ver fotos. Eu acedi e passei o link.
Ele passou-me o link do dele e do da mulher.
Já tinha visto fotos deles no acto, que partilhavam no blog. Mas nunca as pessoas por trás das fantasias sexuais.
Achei um misto de estranho mas também de muita tensão erótica.

A troca de e-mails continuou.
Ele disse “bem, agora que já vimos quem somos, vou à proposta”.

Quando li essa frase estremeci… um misto de medo e excitação.
A proposta era bem simples… ele queria que um terceiro os filmasse a foder para fazer vídeos para o blog. Eles já tinham feito coisas do estilo POV mas ele queria mesmo uma coisa a sério.

Eu perguntei “porquê eu?”
Ele disse que a troca de e-mails entre ele e ela e eu tinha demonstrado de alguma forma ser de confiança suficiente para o fazer. E depois da troca de Hi5 deu para perceber que eu era uma pessoa normal e não um pervertido qualquer.

Eu aceitei.
As regras eram simples e definidas por eles. Eu filmo, quieto e calado, sem qualquer interacção sexual com ela. Tudo ok.

Foram-me buscar ao Cais Sodré, os dois.
Fomos tomar um café primeiro e falar um bocado. Eu tremia que nem varas verdes… estava com medo de acordar numa banheira sem rins… mas eles mostraram-se boa onda, perguntaram-me coisas de foro pessoal, se tinha namorada, há quanto tempo namorava com ela, se era para casar… essas cenas…
Eu devia estar nos meus 25 e eles uns 10 anos mais velhos, talvez quase nos 40s. Mas simpáticos.

Fomos para casa deles.

Ele falou comigo à parte enquanto ela se preparava.
Disse o que queria… ele disse que não ia falar para mim mas que ia fazer sinais para onde queria que eu fizesse os planos. Por mim tudo ok. Tenho experiência em captação e edição de vídeo, tudo tranquilo.
Filmei com uma handycam. Pouco zoom. Tentei orientar umas luzes melhores mas o que havia deu bem para trabalhar.

Não houve qualquer roleplay… foi no quarto, ele começa vestido e ela de lingerie vermelha, sexy.
E eu a filmar. Tentei evitar espelhos de forma a não aparecer no vídeo. Os ângulos foram todos estudados e mantive sempre o foco neles.

Começaram-se a beijar. Tudo ok.

Ela tirou-lhe a camisa e de seguida as calças.

Estavam os dois calados. Beijavam-se, trocavam um ou outro mimo.

Ele tira-lhe o soutien. Ela tinha umas mamas pequenas mas firmes. Eu foquei nas mamas. Fixe… pensava eu.

Enquanto ele beija e morde os bicos das mamas da mulher vai também com a mão massajando o clitóris dela, por cima das cuecas (fio dental, claro).
E ela ao mesmo tempo fazia o mesmo, ele já teso mas ela a tocar-lhe por cima dos boxers.

Ela foi a primeira… afastou-o e tirou-lhe os boxers.
Ele estava bem teso. Tinha uma pila normal e bastantes pêlos púbicos. Achei piada, já tinha visto nas fotos mas ao vivo é sempre diferente. Achei piada ter matagal, eu sempre primei por retirar os meus pêlos, por uma questão de gosto. E ali um grande matagal.
Mas ela não se acanhou e abocanhou logo o bicho!

Ele fez-me sinal para focar-me no acto. Eu já lá estava mas foquei ainda mais… ao ponto de ver a língua dela a trabalhar na glande, ao ponto de conseguir captar no vídeo a baba a escorrer pela pila do quanto ela o chupava.

Quando pensas que um casal quando se junta perde o fogo sexual do início de uma relação e vês isto, pensas o quanto estás enganado. Não sabia há quanto tempo estavam juntos mas ela devorava aquele pau com uma ânsia como se fosse a última vez que o iria ter… aquilo em mim já produzia efeitos, estava com uma ponta… mas tentava ser o mais profissional possível. E ele ria-se…

Ela subiu pelo peito dele, ao contrário do matagal lá em baixo o gajo até era lisinho no peito, em termos de pelos. Trocou um linguado com ele que me deixou a deitar fumo nas partes baixas… e agarrou na cabeça dele e direccionou-a para… pronto… sabem bem onde!

Ela era lisinha. Lábios normais, bem definidos. Clitóris saliente e visível.
Ele começou a fazer-lhe um minete e é aí que ela começa a gemer. Já tinha feito uns ligeiros gemidos a chupá-lo, mas agora… agora era a sério.
O Freud diz que a libido é estimulada maioritariamente no cérebro. E eu concordo com ele nesse aspecto, porque uma mulher que fale para mim e me diga coisas durante o acto só me estimula ainda mais. Mulheres caladas… nem por isso.
Ela começa a gemer e eu quase a tremer… mas lá fui gravando.

O gajo não era grande ás no minete. Isto pensei eu, claro. Eu adoro minetes. Adoro provar uma mulher. Há umas mais salgadas, outras mais ácidas. Mas adoro meter-lhes a língua e sentir aquele sabor único de cada uma, sentir o clitóris, os lábios…

Adiante…

Depois de uns minutos de minete, ele ainda duro passa logo ao acto. Ela estava deitada na cama e ele de joelhos.
Ela estava bem húmida, não foi preciso muito. Eu fiz sinal para ele ter calma e pausei e disse-lhe “pá, uma das cenas que mais tusa me dá é ver a entrar a primeira vez, mete isso bem devagar que vou fazer foco e zoom”.
E assim o fez… aquela primeira entrada e bombadas seguintes… ficaram mesmo bem gravadas.

E começaram a foder, normalmente.

Trocaram de posições, ela por cima, ela de quatro… iam variando.

Até que ele disse que se ia vir… eu perguntei como ele queria e ele disse que ia só tirar fora e vir-se na coninha rapada dela. Eu “ok” e fui filmar isso.

O gajo começou a bombar a séria e ela a gemer-se toda e já dizia para não parar… aquele frenesim tinha-me deixado tão mas tão teso que se notava bem mesmo com as calças vestidas.

Eu estava muito perto dela, quase em cima, a filmar o pau a entrar e sair… o gajo começa a arfar que nem um a****l e é aí que eu sinto a mão da mulher dele a apertar-me a perna que estava perto dela… tremi todo… ela estava-se a vir… e foi aí que o gajo tira o pau dele e vem-se também todo em cima da coninha dela.
Eu filmei a cumshot meio a custo… também eu estava a arfar com toda aquela situação.

Sentia o cheiro a sexo… sentia o cheiro a esperma. Estava mesmo muito próximo. Sentia o cheiro dela também. Aquilo estava-me a deixar doido. Mas sempre a manter a calma e não fazer nada que não estivesse dentro das regras deles.
Só pensava que ia vir-me todo se me tocasse…

Ele faz sinal para parar e parei de gravar.
Riu-se. Perguntou-me o que achei. Eu disse “epá, acho que está aqui um filme engraçado” e ri-me. Ela também se riu.
Ele olhou para ela e depois para mim. “Olha, pousa lá a camera… queres-te vir?”

Eu fiquei sem resposta aquela pergunta… “pá, deves estar aí com um grande barrote… queres-te vir ou não? em cima dela”

E eu olhei para ela… ela fez um ar de “hey, why not” e eu sem saber bem o que fazer…

E ele “vá, tira isso para fora e bate uma, na boa”

Ela meteu-me a mão na perna outra vez… e eu, muito envergonhado, abri as calças, baixei um pouco os boxers e tirei o meu para fora. “ena, rapadinho… e grossinho” disse o gajo. Aquilo deixou-me ali num misto de tira-tesão… mas toquei nela e estremeci todo… ainda estava muita tensão no ar. Comecei a tocar-me… a massajar-me… e ela tira a mão da minha perna e começa a massajar as mamas enquanto a outra mão massajava a cona toda encharcada de esporra do marido. O gajo estava no fundo da cama a ver… e eu olhei para ela…

Ela diz-me “vêm-te para as minhas mamas”
E foi automático… olhar para ela e ouvir aquilo e não contive… saiu um jacto em direcção às mamas pequenas dela… e ela a lambuzá-las todas com o meu leite.

Devo ter dito umas 20 asneiras de seguida… estava a ter um orgasmo do caraças… o gajo ria-se…

Findo e coisa ele deu-me uma toalha e também outra para a mulher… ele pergunta a ela se ia tomar um banho e pergunta-me a mim se também queria tomar um duche. Eu disse que estava bem.

Eles tomaram um duche rápido enquanto eu revi parte do que tinha gravado.

Disse que estava mesmo bom, a captação tinha sido fixe.

Eram umas 15h da tarde… saímos e fomos almoçar. Fizeram questão de me pagar o almoço.

Ainda trocámos mais uns e-mails mas depois a conversa parou.
Passaram uns tempos, uns bons meses, e tinham-se mudado de Algés para Santarém.

O blog ficou um bocado parado até que ele enviou-me um e-mail a agradecer e a dizer que se iam separar porque o gajo ia para fora.

Fiquei com vontade de enviar um e-mail para ela… mas pensei que era melhor não… entretanto, mais tarde, quando me separei, enviei então um e-mail… e deu-me que a aquela caixa já não existia.

Foi a minha primeira vez a ver in loco um casal estranho a foder.
E a partir daí percebi o que mexe com a minha libido.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *